domingo, 25 de novembro de 2012

Trabalho de Geografia 9º

TRABALHO DE RECUPERAÇÃO 1) Defina globalização? 2) Qual a diferença entre Países do Norte e Países do Sul? 3) Diferencie colônia de povoamento de colônia de exploração? 4) O que foi a Guerra Fria? 5) Qual o objetivo da ONU? 6) O que são projeções cartográficas? 7) Justificando que um mapa é um meio de informação: I. Em uma luta armada, a interpretação de um mapa pode indicar o caminho a seguir ou o melhor lugar para se esconder, no caso de uma batalha perdida. II. O mapa permite conhecer melhor o espaço, um terreno ou uma região, orientando na organização de roteiros de viagens. III. O mapa é importante para estruturar diferentes formas de planejamento, inclusive para as guerras. a) se apenas as afirmativas I e II estiverem corretas. b) se apenas as afirmativas I e III estiverem corretas. c) se apenas as afirmativas II e III estiverem corretas. d) se todas as afirmativas estiverem corretas. e) se todas as afirmativas estiverem incorretas. 8) Observe a figura abaixo. O símbolo da ONU (Organização das Nações Unidas) mostra uma representação do mundo a partir de uma projeção: A) cônica B) cilíndrica C) de Peters D) de Mollweide E) azimutal 9) O que você entende por etnocentrismo? 10) Qual a diferença entre Fluxo de Capital Produtivo e Fluxo de Capital Especulativo? 11)O que são megablocos? Quais são as principais associações econômicas? 12) No que diz respeito ao processo de globalização hoje dominante no espaço mundial, analise as seguintes afirmações. I. A expansão das multinacionais vem provocando a descentralização das atividades produtivas, das aplicações de capitais e a interligação dos mercados em escala mundial. II. O desenvolvimento científico-tecnológico constitui-se um dos principais fatores para a retração do capitalismo globalizado. III. As cidades globais ou metrópoles mundiais são os centros de decisões do capital, as sedes das principais empresas financeiras, pólos de pesquisa tecnológica e de comando da economia mundial. De acordo com as afirmações acima, é correto afirmar que: a) I e II são verdadeiras. b) I e III são verdadeiras. c) I, II e III são verdadeiras. d) apenas I é verdadeira. e) apenas II é verdadeira 13) Relacione a primeira coluna de acordo com a primeira. (1°) coluna (1) Zona de livre comércio (2) União aduaneira (3) Mercado comum (4) União econômica e monetária ( 2°) coluna a) ( ) estabelecem entre si mesmas tarifas de exportação e importação para o comércio internacional; b) ( ) uma aliança que visa livre circulação de mercadorias, pessoas capitais e serviços. Como exemplo a UE; c) ( ) acordos que visam exclusivamente a redução ou eliminação de tarifas aduaneiras ente os países membros. Ex. o Nafta; d) ( ) adotam uma moeda única, os países estipulam limites comuns de inflação e déficit como é o caso da União Européia 14) Diferencie Megacidade de Cidades Global. 15) O que você entende por tecnopólo? 16)” Caracteriza-se pelo crescimento acelerado dos centros urbanos, principalmente nas metrópoles, provocando o processo de marginalização das pessoas que por falta de oportunidade e baixa renda residem em bairros que não possuem os serviços públicos básicos, e com isso enfatiza o desemprego, contribui para a formação de favelas, resultando na exclusão social de todas as formas. “ Qual a denominação deste processo? 17) Defina urbanização 18) "O município está assentado sobre a borda da bacia sedimentar do Paraná, tendo como embasamento rochas antigas tais como xisto e gnaisses do Grupo Araxá (Pré-Cambriano)." Sociedade & Natureza, Uberlância, dez./1989 O trecho acima define: a) o sítio urbano do município; b) o sítio urbano e a situação urbana do município; c) a situação urbana e a origem do município; d) a posição geográfica do município; e) a situação no contexto regional do município. 19) Nas grandes cidades brasileiras, a falta de moradia e o aumento do desemprego estão diretamente relacionados à existência de que tipos de habitação? a) Favelas e condomínios. b) Favelas e cortiços. c) Mansões e vilas. d) Vilas e bairros. e) Lugarejos e condomínios. 20) Um aspecto importante a ser observado sobre as cidades é sua função, caracterizada principalmente pela especialização de alguns setores componentes das áreas urbanas. Faça a correlação entre a 1a coluna (cidades) e a 2a (função urbana): 1. Washington e Brasília 2. Manchester e Volta Redonda 3. Veneza e Búzios 4. Meca e Aparecida do Norte ( ) Industrial ( ) Administrativa ( ) Religiosa ( ) Turística A sequência CORRETA é: a) 2, 1, 4 e 3. b) 4, 2, 1 e 3. c) 1, 2, 3 e 4. d) 3, 4, 1 e 2. 21) Diferencie metrópole de megalópole 22) O que é conurbação? 23) Defina polarização 24) A enclosure ou cercamento: a) é o processo de extinção dos campos abertos (open fields), provocando o êxodo rural; b) provocou a substituição dos grandes domínios rurais pelos pequenos, cuja rentabilidade era maior; c) implicou uma maior concentração de mão-de-obra agrícola, ao deter a migração para as cidades; d) foi um fenômeno exclusivo da Inglaterra, não aparecendo em nenhum outro país; e) ocorreu somente no século XIX, em virtude da estagnação do mercado consumidor. 25) Diferencie Grã-Bretanha de Reino Unido 26) Quais são as principais penínsulas da Europa? 27) "Graças às abundantes reservas carboníferas existentes em seu território e à grande importação de outras matérias-primas, o país transformou-se em centro econômico-industrial, no século XIX." O texto melhor caracteriza: a) O Reino Unido b) A Alemanha c) A Itália d) O Canadá e) Os Estados Unidos

Trabalho de Recuperação 8º

TRABALHO DE RECUPERAÇÃO 1) Diferencie população absoluta de população relativa? 2) O que é crescimento natural ou vegetativo? 3) Quais os processos que fazem a população de uma país aumentar ou diminuir? a) Diferença entre a taxa de natalidade e de mortalidade. b) Diferença entre migração e imigração c) Diferença entre a taxa de natalidade e migração d) Diferença entre o nº de pessoas que entraram no país e o nº de pessoas que saíram, e a diferença entre os nascimentos e os óbitos. 4) Defina IDH? Quais são os índices analisados. 5) O que significa êxodo rural? 6) O que significa urbanização? 7) Diferencie metrópole de megalópole? 8) O que significa conurbação? 9) O que significa sítio urbano? 10) Defina Deriva Continental. 11) Diferencie El Nino de La Nina 12) A expressão “Bacia Hidrográfica” pode ser entendida como: a) o conjunto das terras drenadas ou percorridas por um rio principal e seus afluentes. b) a área ocupada pelas águas de um rio principal e seus afluentes no período normal de chuvas. c) o conjunto de lagoas isoladas que se formam no leito dos rios quando o nível de água da água baixa. d) o aumento exagerado do volume de água de um rio principal e seus afluentes quando chove acima do normal. e) o lago formado pelo represamento das águas de um rio principal e seus afluentes 13) Defina Ciclo hidrológico 14) O que diferencia América Anglo-Saxônica da América Latina são: A) Formada por Estados Unidos e Canadá – idioma inglês e religião protestantismo , formada por México América Central e América do Sul – idioma espanhol e português, religião catolicismo. B) Idioma inglês e religião protestantismo, idioma espanhol e português, religião catolicismo. C) Formada por Estados Unidos, Canadá e México , formada por América Central e América do Sul D) Idioma inglês e religião cristianismo, idioma espanhol e português, religião catolicismo. E) N.D.A 15) Diferencie colônia de exploração de colônia de povoamento. 16) O que significa populismo? 17) ) Qual o significado de corrupção? 18) Explique a relação entre a atuação dos coronéis no Brasil e a expressão “voto de cabresto”. 19) O que são aterros sanitários.? 20) O que é chorume? 21)Conceitue e exemplifique as expressões: recurso natural renovável e recurso natural não renovável. 22)O que é Matriz energética? 23) Caracterize as Revoluções Industriais. 24)Defina fontes de energia primária e secundária. 25) Disserte sobre a Revolução Mexicana. 26) Defina empresas maquilladoras. 27) O que significa NAFTA? Quais são os países que formam esse megabloco? 28) Quais são os países que constituem a América Central Continental? 29) Como também é chamada a América Central Insular? 30) Disserte sobre Cuba.

Trabalho de Recuperação 7º

TRABALHO DE RECUPERAÇÃO 1) O que é espaço geográfico? 2) Qual a diferença entre tempo histórico e tempo geológico? 3) Para que serve a latitude e a longitude? 4) O que é cartografia? Qual a função dos mapas? 5) Como é denominada a escala de um mapa representada na forma: 1:20.000? (a)Gráfica (b)Distancial (c)Numérica (d)Altimétrica (e)Angular 6) Considerando-se a organização de um mapa, três condições fundamentais devem ser consideradas. Indique a opção correta: 1- Cores, representação gráfica e estética. 2- Sistemas de projeções, legenda representativa e escala. 3- Topografia, relevo, e rede hidrográfica. 4- Sistemas de coordenadas, rios e lagos. 7) O que são rochas? 8) Complete: a) As rochas _______________________ se formam por resfriamento e solidificação de lavas vulcânicas. b) As rochas _______________________ são formadas pela deposição de camadas de materiais que se originaram de outras rochas. c) As rochas _______________________ surgem a partir de transformações por altas pressões e temperatura em rochas já existentes. 9) Que minerais compõe a rocha? 10) A ação dos agentes físicos, químicos e biológicos, separando e decompondo as rochas, dá-se o nome de: __________________________________________ 11) Defina Deriva Continetal.Por quem foi criada essa teoria? 12) A Terra apresenta basicamente três camadas que representam diferentes espessuras e temperaturas. A temperatura aumenta de fora para dentro, impossibilitando a presença humana nas profundidades do interior.” (Projeto Araribá – Geografia - 5ª série – 2006) De acordo com o que você aprendeu e com o texto acima, identifique as camadas que formam a TERRA: 13) Qual a diferença entre a divisão política do IBGE e a divisão geoeconômica? 14) Diferencie população absoluta de população relativa? 15) O que é crescimento natural ou vegetativo? 16) Quais os processos que fazem a população de uma país aumentar ou diminuir? a) Diferença entre a taxa de natalidade e de mortalidade. b) Diferença entre migração e imigração c) Diferença entre a taxa de natalidade e migração d) Diferença entre o nº de pessoas que entraram no país e o nº de pessoas que saíram, e a diferença entre os nascimentos e os óbitos. 17) Diferencie artesanato de manufatura 18) Disserte sobre A Primeira, Segunda e Terceira Revolução Industrial. 19)Defina Taylorismo, Fordismo e Toyotismo 20) O que significa êxodo rural? 21) O que significa urbanização? 22) Diferencie metrópole de megalópole? 23) O que significa conurbação? 25)Quais são as atribuições de cada um dos três poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário)? 26)- Leia o texto abaixo. “Há uma área do território brasileiro onde o processo de industrialização, acelerado a partir de meados do século XX, se deu com maior intensidade. Isso levou á sua diferenciação em relação ao restante do país”. O texto refere-se á região geoeconômica (a) do Centro- Sul do Brasil (b) dos municípios vizinhos de Brasília (c) do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul (d) próxima a Belo Horizonte (e) dos estados da Bahia, Pernambuco e Ceará 27) “O geógrafo Pedro Pinchas Geiger propôs, em 1967, a divisão regional do Brasil em três regiões geoeconômicas ou complexos regionais (...)Essa divisão regional tem por base as características geoeconômicas e a formação histórico-econômica do Brasil (...)” (ADAS, Melhem. Geografia: o Brasil e suas regiões geoeconômicas. São Paulo, Moderna, 1996). Aos complexos regionais da Amazônia, do Nordeste e do Centro-Sul, proposto por Geiger, podem-se atribuir, respectivamente, as seguintes características: a) povoado no período colonial – industrializado – baixa densidade demográfica. b) Agricultura tecnificada – atração de mão-de-obra – predomínio de população rural. c) Pequenas propriedades rurais – industrialização tradicional – economia extrativa. d) Expansão da fronteira agrícola – colonizado através da economia açucareira – o mais industrializado e urbanizado. 28) Em Geografia, as metrópoles são definidas por uma série de características. Com base nessas características, poucas das cidades brasileiras são consideradas metrópoles. Considerando as metrópoles brasileiras, é INCORRETO afirmar que elas: a) exercem influência sobre vasta área geográfica, quase sempre mais ampla que o território dos seus estados. b) têm equipamentos urbanos numerosos e variados, capazes de suprir a quase totalidade das necessidades da sua população. c) apresentam uma área central, cujo fluxo de veículos, em geral intenso, varia consideravelmente ao longo do dia. d) formam uma mancha urbana de densidade demográfica homogênea, que se estende, de forma contínua, pelos municípios da região metropolitana. 29) A intensa e acelerada urbanização brasileira resultou em sérios problemas sociais urbanos, entre os quais podemos destacar: a) Falta de infra-estrutura, limitações das liberdades individuais e altas condições de vida nos centros urbanos. b) Aumento do número de favelas e cortiços, falta de infra-estrutura e todas as formas de violência. c) Conflitos e violência urbana, luta pela posse da terra e acentuado êxodo rural. d) Acentuado êxodo rural, mudanças no destino das correntes migratórias e aumento no número de favelas e cortiços. e) Luta pela posse da terra, falta de infra-estrutura e altas condições de vida nos centros urbanos. 30) Um aspecto importante a ser observado sobre as cidades é sua função, caracterizada principalmente pela especialização de alguns setores componentes das áreas urbanas. Faça a correlação entre a 1a coluna (cidades) e a 2a (função urbana): 1. Washington e Brasília 2. Manchester e Volta Redonda 3. Veneza e Búzios 4. Meca e Aparecida do Norte ( ) Industrial ( ) Administrativa ( ) Religiosa ( ) Turística A sequência CORRETA é: a) 2, 1, 4 e 3. b) 4, 2, 1 e 3. c) 1, 2, 3 e 4. d) 3, 4, 1 e 2. 31) O que são regiões metropolitanas? 32) Como funciona o sistema agrícola plantation? 33) Chamamos de sistemas agrícolas a) Ao conjunto de técnicas empregadas para obtenção da produção agropastoril b) As formas de financiamento da produção e da comercialização dos produtos agrícolas c) O sistema de distribuição dos cultivos, em relação ao solo e todos produtos agrícolas d) As formas de divisão de glebas, em relação às culturas desenvolvidas 34) Quais os processos que fazem a população de uma país aumentar ou diminuir? a) Diferença entre a taxa de natalidade e de mortalidade. b) Diferença entre migração e imigração c) Diferença entre a taxa de natalidade e migração d) Diferença entre o nº de pessoas que entraram no país e o nº de pessoas que saíram, e a diferença entre os nascimentos e os óbitos.

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

A fragmentação da Iugoslávia

A fragmentação da Iugoslávia • A Iugoslávia foi criada numa região da Europa chamada Bálcãs, após a 1ªGuerra Mundial- chamava-se Reino dos Sérvios, Croatas e Eslovenos. • 1929 – passou a chamar Reino da Iugoslávia. • Após a 2ª Guerra Mundial passou a chamar República Socialista Federal da Iugoslávia. • O país foi organizado em seis repúblicas - sérvios, croatas, eslovenos, eslavos, muçulmanos, macedônios e montenegrinos. • 1991 – Eslovênia declarou sua independência, seguida pela Croácia e Macedônia. • 1992 – independência Bósnia-Herzegovina • 2006 – Separação entre Sérvia e Montenegro. • 2008 – Kosovo declarou sua independência. Conflitos no Oriente Médio É uma das regiões mais conflituosas do planeta, e a região mais rica em petróleo. • Curdos – território que fica na região da Turquia, Iraque e Irã, da Síria e da Armênia – até 1920 era autônoma. Mas por imposição da Turquia, os curdos ficaram sem Estado. • Palestina e os conflitos entre árabes e judeus • Sionismo tinha como objetivo criar um estado judeu na Palestina. • No início da era cristã, parte do atual Oriente Médio ficou sob domínio dos romanos, expulsando os judeus da região. • No século VII, a Palestina foi ocupada por árabes, conhecidos como Palestinos. • 1933 ascensão do nazismo intensificoua imigração dos judeus para a Palestina. • 1948 – Divisão do território, e criação doestado judeu. • Na década de 1950, entre os refugiados palestinos, começaram a surgir os primeiros grupos de guerrilheiros que tinham como proposta a fundação de um Estado palestino e a devolução por Israel de todos os territórios ocupados. Em 1964 surgiu a OLP (Organização para Libertação da Palestina) • 1980 a OLP abdicou da luta armada. Conflitos na África O termo apartheid se refere a uma política racial implantada na África do Sul. De acordo com esse regime, a minoria branca, os únicos com direito a voto, detinha todo poder político e econômico no país, enquanto à imensa maioria negra restava a obrigação de obedecer rigorosamente à legislação separatista. A política de segregação racial foi oficializada em 1948, com a chegada do Novo Partido Nacional (NNP) ao poder. O apartheid não permitia o acesso dos negros às urnas e os proibia de adquirir terras na maior parte do país, obrigando-os a viver em zonas residenciais segregadas, uma espécie de confinamento geográfico. Casamentos e relações sexuais entre pessoas de diferentes etnias também eram proibidos. Com o fim do império português na África (1975) e a queda do governo de minoria branca na Rodésia, atual Zimbábue (1980), o domínio branco na África do Sul entrou em crise. Esses fatos intensificaram as manifestações populares contra o apartheid. A Organização das Nações Unidas (ONU) tentou dar fim à política praticada no país. Com a posse de Frederick de Klerk na presidência, em 1989, ocorreram várias mudanças. Em 1990, Mandela foi libertado e o CNA (Congresso Nacional Africano, organização negra criada em 1912), recuperou a legalidade. Klerk revogou as leis raciais e iniciou o diálogo com o CNA. Sua política foi legitimada por um plebiscito só para brancos, em 1992, no qual 69% dos eleitores (brancos) votaram pelo fim do apartheid. Klerk e Mandela ganharam o Prêmio Nobel da Paz em 1993. Em abril de 1994, Nelson Mandela foi eleito presidente da África do Sul nas primeiras eleições multirraciais do país.

terça-feira, 8 de maio de 2012

1º Médio - Como nasce um paradigma


Como nasce um paradigma

Um grupo de cientistas colocou cinco macacos numa jaula, em cujo centro puseram uma escada e, sobre ela, um cacho de bananas.Quando um macaco subia a escada para apanhar as bananas, os cientistas lançavam um jato de água fria nos que estavam no chão.
Depois de certo tempo, quando um macaco ia subir a escada, os outros enchiam-no de pancadas. Passado mais algum tempo, nenhum macaco subia mais a escada, apesar da tentação das bananas. Então, os cientistas substituíram um dos cinco macacos.A primeira coisa que ele fez foi subir a escada, dela sendo rapidamente retirado pelos outros, que o surraram. Depois de algumas surras, o novo integrante do grupo não mais subia a escada. Um segundo foi substituído, e o mesmo ocorreu, tendo o primeiro substituto participado, com entusiasmo, da surra ao novato. Um terceiro foi trocado, e repetiu-se o fato. Um quarto e, finalmente, o último dos veteranos foi substituído.
Os cientistas ficaram, então, com um grupo de cinco macacos que, mesmo nunca tendo tomado um banho frio, continuavam batendo naquele que tentasse chegar às bananas. Se fosse possível perguntar a algum deles por que batiam em quem tentasse subir a escada, com certeza a resposta seria: "Não sei, as coisas por aqui sempre foram assim...".
Autor desconhecido.
Compare o texto com o que foi debatido em sala de aula.

2º Médio - O mito da caverna


“... pois os homens começam e começaram sempre a filosofar movidos pelo espanto (...). Aquele que se coloca uma dificuldade e se espanta reconhece sua própria ignorância. (...) De sorte que, se filosofaram, foi para fugir da ignorância”.
Aristóteles

Conhece-te a ti mesmo

Há 23 séculos, na Grécia Antiga, na cidade dos Delfos, um ateniense vai ao santuário do deus Apolo consultar o oráculo. Muitos diziam que este ateniense era um sábio e ele desejava saber o que significava ser um sábio e se ele poderia ser chamado de sábio. O oráculo, que era uma mulher, perguntou-lhe: “O que você sabe?”. Ele respondeu: “Só sei que nada sei”. Ao que o oráculo disse: “Este é o mais sábio de todos os homens, pois é o único que sabe que não sabe”. Estamos falando de Sócrates, o patrono da filosofia.
Sócrates jamais se contentou com as opiniões estabelecidas, com os preconceitos de sua sociedade, com as crenças inquestionadas de seus conterrâneos. Andava pelas ruas de Atenas fazendo aos atenienses algumas perguntas: “O que é isso em que você acredita?”, “O que é isso o que você está dizendo?”, “O que é isso que você está fazendo?”. A pergunta “O que é” era o questionamento sobre a realidade essencial e profunda de uma coisa para além das aparências e contra as aparências. Com essa pergunta, Sócrates levava os atenienses a descobrir a diferença ente parecer e ser, entre mera crença ou opinião e verdade.

O mito da caverna

Platão (427-347 a.C.) foi o mais famoso discípulo de Sócrates. Fundou, em Atenas, uma escola filosófica chamada Academia. O mito da caverna tem o objetivo de ilustrar como a maioria das pessoas vive com um véu sobre seus olhos, o que possibilita apenas uma visão distorcida e incompleta sobre coisas como a verdade e a beleza. Imaginemos uma caverna separada do mundo externo por um alto muro. Entre o muro e o chão da caverna há uma fresta por onde passa um fino feixe de luz exterior, deixando a caverna na obscuridade quase completa. Desde o nascimento, geração após geração, seres humanos encontram-se ali, de costas para a entrada, acorrentados sem poder mover a cabeça nem locomover-se, forçados a olhar apenas a parede do fundo, vivendo sem nunca ter visto o mundo exterior nem a luz do Sol, sem jamais ter efetivamente visto uns aos outros nem a si mesmos, mas apenas sombras dos outros e de si mesmos porque estão no escuro e imobilizados. Abaixo do muro, do lado de dentro da caverna, há um fogo que ilumina vagamente o interior sombrio e faz com que as coisas que se passam do lado de fora sejam projetadas como sombras nas paredes o fundo da caverna. Os prisioneiros tomam essas sombras por realidade.
Um dos prisioneiros fabrica um instrumento com o qual quebra os grilhões e sai da caverna. Seu primeiro impulso é o de retornar para livrar-se da dor e do espanto, atraído pela escuridão, que lhe parece mais acolhedora. Além disso, precisa aprender a ver e esse aprendizado é doloroso, fazendo-o desejar a caverna onde tudo lhe é familiar e conhecido. Finalmente, acostuma-se com a luz e começa a ver o mundo. Com pena dos demais prisioneiros, resolve voltar ao subterrâneo sombrio para contar-lhes o que viu e convence-los a se libertarem também. No entanto, no retorno, os demais prisioneiros não acreditam em suas palavras e, se não conseguem silenciá-lo com suas caçoadas, tentam fazê-lo espancando-o. Se mesmo assim ele teima em afirmar o que viu e os convida a sair da caverna, certamente acabam por matá-lo. Mas, quem sabe, alguns podem ouvi-lo e, contra a vontade dos demais, também decidir sair da caverna rumo à realidade.
Referências:
CHAUÍ, Marilena. Convite à Filosofia. 4 ed., Ática, 1995.

3º Médio - FILOSOFIA NA ESCURIDÃO


FILOSOFIA NA ESCURIDÃO


Vivemos em um mundo vazio, completamente carente das boas ações que pregamos todos os dias, mas não há praticamos. Pregamos nossa religião, mas nos falta fé, falamos da inveja, reparou como somos invejosos, pregamos fidelidade e vivemos na falsidade, sorrimos por obrigação, somos amigos instantâneos, somos mesquinhos, prepotentes, indelicados. Pregamos contra a maldade, mais na primeira oportunidade, espetamos aqueles que nos contradizem, que não gostamos, que brilha, mas do que nós; e ainda falamos que temos fé.
Somos tão moralistas e desconhecemos o senso moral da humanidade, da verdade, do coletivo, e da ação conjunta. Nos falta de tudo, tempo, paciência, bom senso, felicidade, um encontro com o ?? eu mesmo? para sabermos quem somos, quais são nossas estruturas, nossas possibilidades, nossa realidade, nos falta saber? quem somos?.
Quem sou? Em qual mundo vivo? Quais as pessoas com quem me relaciono?
Nos falta simplicidade para responder estas e outras perguntas que o mundo não faz, ninguém nos faz, e os nossos desejos impossibilitam nossa visão, aquela visão que nos remete a um olhar profundo sobre todas as coisas, e principalmente sobre o nosso egoísmo. A pior prisão está presente em nossos pensamentos. Pois apropriamos os nossos pensamentos para estabelecer sucesso, sucessões; sem mesmo manifestar uma autocrítica estrutural, racional; então funciona o corporal como um touro bravo que sai de encontro à cerca, e cercado de ambições paralisamos todo nosso desenvolvimento mental e nos tornamos prisioneiros de nossa própria realidade. 
Você pode perceber que não existe ação conjunta, mesmo se indiretamente ela vier acontecer pode ser por acaso, por que sempre existirá um que irá aparecer sozinho, isso em qualquer lugar, pois por mais idéias, ideais e ideologias que existirem a competição e o desequilíbrio racional estarão sempre presente, pois o mundo prepara cidadãos para agir assim, e a vida sai de cena junto com a família que não partilha, mas o café da manhã, que não dialoga, que não participa, que perde a ternura e vai se casando com as ideologias do mundo, selvagem, egoísta, preconceituoso, que não dialoga e só aponta erros, discordância e impureza.
O desejo de se sentir importante é uma das principais busca do ser humano, só que buscam está forma de maneira completamente errônea, ou seja, isolando fatos e precedentes que possam ameaçar o desejo de tal busca; ser importante errando para muitos é melhor de que ser um simples passageiro que viaja no cumprimento de suas ações, porém passa despercebido, mas dorme tranqüilo por não machucar e nem eliminar ninguém. 
Seja sincero, você gosta de ser chamado atenção? Pois quando sentir que será, muitas das vezes busca uma alternativa, e esta saída sempre ira repercutir em alguém, seja, você ao errar busca apontar outros culpados, acertando; você se isola e tem o prazer de saborear o bolo sozinho. Possuímos uma facilidade para fazer criticas, mas por a mão na massa para consertar o que está errado é difícil, e muita das vezes o próprio preparo espiritual e intelectual é de uma ausência permanente.
O mundo nos oferece, variadas possibilidades, uma delas é o direito de sonhar e realizar sonhos. Podemos perceber que são diferentes atos de sonhar, que produz um termo fantasiado em nossa mente e o termo realizar que aparece como aquilo que realizei, ou que conquistei. Todo jovem produz imediatos pensamentos voltados ao sonho e, se depara com, o que eu vou ser quando crescer?
E produzem fantasias sem limites, que muitas das vezes denominamos como sonhos. Porém, o que é o sonho? Aquele da padaria, aquele que parece esta tão perto, e que é fácil conquistá-lo. Tire como exemplo a questão do vestibular, é sonho de país ver um filho aprovado e seguindo uma carreira acadêmica, já é uma meia certeza de que está se encaminhado para ser alguém de sucesso. Porém todo tipo de teoria é tão longe da pratica. Será que Piaget viveu na favela, obteve conhecimento real, sobre o que é uma infância pobre? E Rousseau, estaria certo em dizer que, ??o homem nasce puro e a sociedade o corrompe? Tais questões nos fazem perceber que somos grandes teóricos, e carente de práticas. O que é o oprimido? Por que existe a depressão? Será que capitalizaram a fé? 
Sonho que se sonha junto é realidade?

Pense nisso... 

Professor, Péricles gomes da Silva, professor do Curso Cisne Branco e Centro
educacional Betel.

domingo, 29 de abril de 2012

Observações


Alguns textos e imagens deste blog são de minha autoria. Outros foram retirados de livros, revistas, jornais,ou mesmo da internet. Se você é autor(a) de algum texto/imagem e não deseja ver seu trabalho publicado nesta página, envie uma mensagem para claudez_cra@yahoo.com.br, que ele será prontamente retirado. Abraços,
Claudia

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Os fundadores da Sociologia

As correntes teóricas da Sociologia

Com a consolidação do capitalismo na Europa, no século XIX, surge a Sociologia como ciência particular. O pensamento de Saint-Simon (1760-1830), Hegel (1770-1830) e David Ricardo (1772-1823) serviram como base para que Comte e Marx desenvolvessem teorias divergentes.
São três os principais pensadores clássicos da Sociologia, a saber: Marx, Durkheim e Weber.

Auguste Comte (1798 – 1857)

O termo Sociologia foi criado por Augusto Comte em 1838 , sendo considerado o pai da Sociologia – provavelmente o primeiro pensador moderno. Comte defendia a ideia de que para uma sociedade funcionar corretamente, precisa estar organizada e só assim alcançará o progresso. Seu esquema sociológico era tipicamente positivista, corrente com grande expressão no século XIX.

Comte era francês, republicano e com idéias liberais que lhe permitiam elaborar suas propostas para resolver os problemas da sociedade de sua época. Para Comte, que vivia na França pós-revolucionária, a questão a ser resolvida era como organizar a nova sociedade que estava em ebulição.

A resposta, segundo ele, seria uma reforma completa da sociedade em que vivia, partindo para isso da reforma intelectual plena do homem. Modificando a forma de pensar dos homens por meio das ciências, haveria a reforma das instituições (Positivismo – uso de métodos científicos de análise em contraposição ao uso da fé e da religião).

Para Comte a Sociologia deveria reconciliar os aspectos estáticos e dinâmicos do mundo natural, ou entre a ordem e o progresso, com o progresso sempre subordinado à ordem. Com estas ideias, Comte influenciou a tradição republicana na Europa e na América Latina.

Karl Marx (1818 – 1883) e Friederich Engels (1820 – 1895)

Durante o século XIX as transformações iniciadas com o invento da máquina a vapor permaneceram em ritmo acelerado, e as alterações no processo produtivo ficaram mais visíveis como o surgimento de novas máquinas, impulsionado pela descoberta de outras fontes de energia como o petróleo e a eletricidade.

Aos poucos surgiram movimentos de trabalhadores, já organizados em sindicatos, com o fim de transformar a sociedade capitalista.

Nasce o Socialismo, expresso por Marx e Engels com o objetivo de dotar os trabalhadores de condições de análise da sociedade do qual faziam parte.

Para Marx e Engels – ao contrário de Comte – não era necessária uma ciência para estudar a sociedade, mas esta deveria ser vista como um todo complexo de aspectos sociais, econômicos, políticos, ideológicos, religiosos, etc. Estes teóricos entendiam que o conhecimento científico da realidade só fazia sentido se este pudesse transformá-la.

Foi um intelectual e revolucionário alemão, fundador da doutrina comunista moderna, atuou como economista, filósofo, historiador, teórico político e jornalista e foi o mais revolucionário pensador sociológico.

Marx concebe a sociedade dividida em duas classes: a dos capitalistas que detêm a posse dos meios de produção e o proletariado (ou operariado), cuja única posse é sua força de trabalho a qual vendem ao capital. Para Marx, os interesses entre o capital e o trabalho são irreconciliáveis, sendo este debate a essência do seu pensamento, resultando na concepção de uma sociedade dividida em classes. Assim, os meios de produção resultam nas relações de produção, formas como os homens se organizam para executar a atividade produtiva. Tudo isso acarreta desigualdades, dando origem à luta de classes.

Marx foi um defensor do comunismo, pois essa seria a fase final da sociedade humana, alcançada somente a partir de uma revolução proletária, acreditando assim na ideia utópica de uma sociedade igualitária ou socialista.

Um dos mais importantes conceitos elaborados por Marx foi o que ele denominou de concepção materialista da História. Segundo esse conceito, não são as idéias e os valores que as pessoas professam que provocam mudanças sociais, como sustentavam os filósofos da época; para Marx, as mudanças sociais são causadas por fatores econômicos, ou seja, fatores materiais.

Émile Durkheim (1858-1917)

Foi o fundador da escola francesa de Sociologia, ao combinar a pesquisa empírica com a teoria sociológica. Ainda sob influência positivista, lutou para fazer das Ciências Sociais uma disciplina rigorosamente científica. Durkheim entendia que a sociedade era um organismo que funcionava como um corpo, onde cada órgão tem uma função e depende dos outros para sobreviver. Ao seu olhar, o que importa é o indivíduo se sentir parte do todo, pois caso contrário ocorrerá anomalias sociais, deteriorando o tecido social.

A diferença entre Comte e Durkheim é que o primeiro crê que se tudo estiver em ordem, isto é, organizado, a sociedade viverá bem, enquanto Durkheim entende que não se pode receitar os mesmos “remédios” que serviu a uma sociedade para resolver os “males” sociais de outras sociedades.

Para Durkheim, a Sociologia deve estudar os fatos sociais, os quais possuem três características: 1) coerção social; 2) exterioridade; 3) poder de generalização. Os fatos sociais apresentam vida própria, sendo exteriores aos indivíduos e introjetados neles a ponto de virarem hábitos.

Pela sua perspectiva, o cientista social deve estudar a sociedade a partir de um distanciamento dela, sendo neutro, não se deixando influenciar por seus próprios preconceitos, valores, sentimentos etc.

A diferença básica entre Marx, Comte e Durkheim consiste basicamente em que os dois últimos entendem a sociedade como um organismo funcionando, suas partes se completando. Por outro lado, Marx afirma que a ordem constituída só é possível porque a classe dos trabalhadores é dominada pela classe dos capitalistas e propõe que a classe proletária (trabalhadores) deve se organizar, unir-se e inverter a ordem, ou seja, passar de dominada a dominante, e assim superar a exploração e as desigualdades sociais.

Foi nesse contexto de mudanças que ele moldou a expressão Divisão Social do Trabalho, que via nesse fenômeno uma boba forma de dependência entre as pessoas, pois cada uma passava a depender da posição da outra na atividade econômica.

No entanto foi com o conceito de anomia que introduziu uma importante inovação na análise sociológica. Ele começou a investigar o fenômeno do suicídio, a fim de verificar se o evento seria um ato de decisão totalmente individual ou se o suicida estaria sob influência de fatores sociais. A conclusão a que chegou foi que os indivíduos investigados, ao buscarem a morte, estavam sob a influência de um ambiente social desprovido de normas e regras, chamou isso de anomia, que quer dizer ausência de normas.

Max Weber (1864 – 1920)

A obra de Weber está diretamente relacionada com a situação da Alemanha em seu tempo – industrialização tardia em relação à Europa Ocidental e participação na 1ª Guerra Mundial.

Weber percorre caminhos variados escrevendo sobre economia, questões religiosas, burocracia, urbanização, música, etc. Para ele o objeto da análise sociológica é o indivíduo, capaz de definir as finalidades para seus atos.

A Sociologia, segundo Weber, deveria compreender as ações dos indivíduos, atuando e vivenciando situações sociais com determinados motivos e intenções.

Foi um intelectual alemão, jurista, economista e considerado um dos fundadores da Sociologia e é o pensador mais recente dentre os três, conhecedor tanto do pensamento de Comte e Durkheim quanto de Marx. Assim, ele entende que a sociedade não funciona de forma tão simples e nem pode ser harmoniosa como pensam Comte e Durkheim, mas também não propõe uma revolução como faz Marx, mas afirma que o papel da Sociologia é observar e analisar os fenômenos que ocorrem na sociedade, buscando extrair desses fenômenos os ensinamentos e sistematizá-los para uma melhor compreensão, é por isso que sua Sociologia recebe o nome de compreensiva.

Weber valorizava as particularidades, ou seja, a formação específica da sociedade; entende a sociedade sob uma perspectiva histórica, diferente dos positivistas.

Um dos conceitos chaves da obra e da teoria sociológica de Weber é a ação social. A ação é um comportamento humano no qual os indivíduos se relacionam de maneira subjetiva, cujo sentido é determinado pelo comportamento alheio. Esse comportamento só é ação social quando o ator atribui à sua conduta um significado ou sentido próprio, e esse sentido se relaciona com o comportamento de outras pessoas.

Weber também se preocupou com certos instrumentos metodológicos que possibilitassem ao cientista uma investigação dos fenômenos particulares sem se perder na infinidade disforme dos seus aspectos concretos, sendo que o principal instrumento é o tipo ideal, o qual cumpre duas funções principais: primeiro a de selecionar explicitamente a dimensão do objeto a ser analisado e, posteriormente, apresentar essa dimensão de uma maneira pura, sem suas sutilezas concretas.

Weber escreveu que a religião, pode exercer enorme influência no comportamento das pessoas e contribuir para moldar um tipo de sociedade.

Se deteve também em estudar o fenômeno da burocracia e sua função nas empresas. Percebeu que a burocracia era determinante para a organização e a eficiência das firmas, ao definir claramente as fincões de cada empregado e organizá-los segundo uma ordem hierárquica racional. Mas viu que a burocracia se tornaria também elemento de alienação e opressão para os empregados.

Em suma: a Sociologia de Comte e Durkheim são positivistas; a de Marx é revolucionária e a de Max Weber é compreensiva. E nisto talvez esteja a principal diferença entre esses quatro grandes pensadores da Sociologia.



domingo, 12 de fevereiro de 2012

SESSAÕ DE CINEMA O jumento santo e a cidade que se acabou antes de começar. Brasil, 2007.Animação, duração 11 minutos, diponível em:http:portacurtas.com.br. Direção de Leo D. e Willian Paiva. Sátira à visão cristã que atribui à vontade de Deus a ordem social do mundo. Os anjos debatem as alternativas e as saídas para os problemas criados pelo próprio homem. Tema para debate: Quem põe ordem no mundo? Hoje em dia não predomina a visão religiosa, e sim o entendimento de que os homens são os reponsáveis pela sociedade, por sua ordem e desordem. Em sua opinião, que desafios essa mudança de perspectiva trouxe para os homens.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012